O escorbuto e a vitamina C

O escorbuto é uma doença causada pela falta de ácido ascórbico – mais popularmente conhecida por vitamina C – no organismo. Seus sintomas são: exaustão, fraqueza, inchaço dos braços e pernas, amolecimento das gengivas, equimose (infiltração sanguínea consequente do rompimento de capilares), hemorragias nasais e bucais, dores musculares, perda dos dentes, entre outras. Foi, durante muito tempo, o pior inimigo a ser enfrentado pelos tripulantes dos navios marítimos, que saíam da Europa em busca de especiarias, escravos e terras para serem tomadas ou descobertas e colonizadas. Até mesmo na literatura, existem referências ao escorbuto e ao seu tratamento, como no livro “A Dança dos Dragões”, o 5º livro da coleção “As Crônicas de Gelo e Fogo” (não preciso nem dizer que eu sou apaixonada pela série! rs) , na página 192:

“O Senhor Intendente não lhe deu atenção.

- Haverá doenças também – continuou -, gengivas sangrando e perda de dentes. Meistre Aemon costumava dizer que suco de limão e carne fresca curam isso, mas nossos limões se foram há um ano e não temos forragem suficiente para manter o rebanho e ter carne fresca.[…]” (note que a cura para a doença era limão – reposição de vitamina C – e carne fresca – reposição de proteínas!)

Muitas tripulações foram dizimadas pelo escorbuto no mar, pela alimentação deficiente em vitamina C, e nunca chegaram ao seu destino. Já pensou como a geografia poderia ser diferente hoje, se estes navegantes tivessem o conhecimento da importância da vitamina C?

Estrutura do ácido ascórbico, mais conhecido como Vitamina C.

Mas, como aqui o nosso foco é a Química, e o meu foco seja mais precisamente como a Química possibilita e influencia a vida – no sentido biológico da palavra – vamos pensar nas razões pelas quais a falta de vitamina C causa o escorbuto.

A vitamina C é uma substância essencial para a formação da estrutura correta – e mais forte – do colágeno (sobre o qual eu já falei anteriormente, neste post: Cápsulas de Colágeno, enzimas digeridas e comprimidos de insulina: mitos e verdades sobre as proteínas ). E o colágeno – como eu disse no outro post – é responsável pela firmeza e elasticidade dos tecidos como a pele, os músculos, as paredes dos vasos sanguíneos, veias e artérias. Mas quando se segue a “receita” da “fabricação” do colágeno, a partir do DNA, o colágeno é formado por uma grande sequência dos aminoácidos lisina, prolina e glicina. Então, depois de formada esta sequência, a vitamina C auxilia a enzima prolina-hidroxilase em um processo chamado HIDROXILAÇÃO do aminoácido prolina, que nada mais é do que a inserção de hidroxila na estrutura deste aminoácido.

Quando existem hidroxilas na estrutura de uma proteína, ela se torna capaz de fazer mais ligações do tipo pontes de hidrogênio, reforçando a estrutura alfa-hélice (ver artigo sobre o colágeno) da proteína e, portanto, tornando-a mais rígida, mais firme. E, assim, se a estrutura do colágeno fica mais rígida, nossas próprias estruturas e tecidos também permanecem firmes.

Se ocorre a carência de vitamina C no organismo, este processo de hidroxilação deixa de acontecer, e o colágeno produzido não tem a mesma rigidez do colágeno hidroxilado. Com isso, as estruturas como pele, mucosas, músculos e vasos sanguíneos também perdem sua firmeza, e, por isso, a gengiva amolece e “solta” os dentes, os vasos capilares se rompem e causam hemorragias, os músculos enfraquecem.

Portanto, o pior inimigo das navegações antigas não era um vírus ou uma bactéria; era a má alimentação e tinha causas químicas. Hoje, o escorbuto já uma doença que não tem tanta atenção, pois não ocorre com tanta frequência. Mesmo assim, é importante ter uma alimentação rica em vitamina C (alimentos como a goiaba e as frutas cítricas), para evitar, se não o escorbuto, pelo menos a perda de elasticidade e firmeza dos nossos tecidos.

Então, a fica a dica: para fortalecer a pele e os músculos, nada de cápsulas de colágeno, e sim, vitamina C!

P.S.: lembrando que nenhuma substância química faz milagres, a vitamina C só auxilia no aumento da rigidez do colágeno, não produz mais colágeno do que seu corpo produziria normalmente. Portanto, quando seu corpo diminuir naturalmente a produção, tanto do colágeno como de qualquer outra substância, paciência, é o ritmo da natureza…

REFERÊNCIAS:

LE COUTEUR, P.; BURRESON, J. Os botões de Napoleão – As 17 moléculas que mudaram a história. Rio de Janeio: Zahar, 2006. p. 38 – 53.

MARTIN, G. R. R. As Crônicas de Gelo e Fogo – A Dança dos Dragões. Livro 5. Tradução de Marcia Blasques. São Paulo: Leya, 2012.

About these ads
Esse post foi publicado em ▪ Química da Vida, Química: e marcado , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s